Programa que promove a transparência em prefeituras do Paraná completa 1 ano

Mais de 100 servidores públicos foram capacitados pelo Programa Litoral Transparente em 6 municípios

O ‘Litoral Transparente – Programa de Governo Aberto e Integridade Pública’ completa um ano de atividades no litoral paranaense e o marco foi comemorado durante o II Fórum Intermunicipal de Governo Aberto, realizado na última quarta-feira (19), em Matinhos, no Paraná – um dos municípios beneficiados pelo projeto. O Programa está formando servidores municipais com foco em ética, controle interno, transparência e integridade pública. É um projeto pioneiro que conta com a realização do Instituto Ethos e da Escola de Políticas Públicas, braço educacional da Agenda Pública, e o patrocínio da Techint Engenharia e Construção.

Nestes 12 meses de programa, os servidores públicos dos seis municípios participantes Antonina, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná receberam 284 horas de aulas sobre governo aberto, transparência e integridade pública, controle interno e controle social. Mais de 100 servidores foram capacitados e os projetos envolvidos tiveram mais de 120 horas de mentoria.

Para os participantes, todos profissionais da área pública, as formações promovidas pela Escola de Políticas Pública (EPP) ampliaram a forma como enxergam a gestão. Para a auxiliar administrativa da Secretaria de Saúde de Paranaguá, Giselle Ferro, o programa a fez entender a importância de um trabalho transparente: “Nós temos uma responsabilidade muito grande como servidores. Temos que trabalhar com transparência, mostrar para a população o que estamos fazendo em benefício dela e como está sendo gasto o dinheiro público”, disse.

Ao longo do programa, mais de 100 servidores estiveram juntos para trocar experiências, dividir projetos e novas ideias para uma gestão pública íntegra e eficiente. “No meu ponto de vista, todo servidor deveria passar por essa capacitação pelo fato de levar a sério o seu trabalho e ter mais comprometimento com o setor público”, afirmou a assistente administrativa na prefeitura de Pontal do Paraná, Monalisa Rodrigues.

O Programa, formado por duas etapas, uma delas realizada pelo Instituto Ethos, em que são avaliados os portais de transparência dos municípios participantes e, outra, de formações nas temáticas de transparência pública e controle interno para servidores públicos dos seis municípios.

Para a articuladora territorial da Escola de Políticas Públicas, Vanessa Menegueti as formações tinham como objetivo valorizar o processo de aprendizagem. “A experiência foi além e provocou uma mudança cultural entre os servidores públicos que passaram a compreender a transparência e o controle interno como ferramentas para auxiliar a gestão pública e o trabalho por eles executado, aumentando a qualidade do serviço público e a confiança da população”, explicou.

Um olhar mais transparente sobre gestão pública

“Eu aprendi a ver de outra forma o que é transparência e o que é controle interno”, revelou o engenheiro Sérgio Zanetti, da Secretaria do Meio Ambiente de Guaratuba. Para o Chefe da Divisão de Transportes da Secretaria Municipal de Antonina, Luiz Carvalho, o programa o ajudou a ampliar sua visão sobre a gestão pública: “O mais interessante foi conhecer mais sobre como funciona a máquina e onde cada profissional está localizado nessa estrutura”.

A Techint E&C promove a iniciativa junto à Associação dos Municípios do Litoral desde 2017 e aposta no sucesso do programa como fator preponderante para que o modelo sirva de exemplo e seja replicado em outras regiões do país. “Com muito orgulho, posso dizer que o programa impulsionou os servidores locais na busca do conhecimento para alcançar uma gestão mais transparente e efetiva e que proporcione melhores soluções para a comunidade local. Essas condições ampliam as possibilidades para que as companhias e investidores desenvolvam seus projetos e fortaleçam a parceria público-privada”, ressaltou Ricardo Ourique, Diretor-Geral da Techint E&C no Brasil.

“As políticas de governo aberto vão transformar a maneira como a sociedade participa. Teremos um modelo de participação que permitirá à sociedade propor alternativas e gerar soluções. Trabalhando melhor dados e mecanismos de transparência também poderemos criar serviços mais eficientes, mais personalizados e eficazes. O Litoral Transparente apoia os municípios nessa mudança”, salientou o diretor-executivo da Agenda Pública, Sergio Andrade.  

Caio Magri, diretor-presidente do Ethos destacou que trabalhar com a pauta de transparência e integridade pública sob a perspectiva de governo aberto é uma proposta de promover uma mudança de cultura e da relação de confiança entre governo e sociedade. “É inovar nas formas de fazer política pública a partir da coprodução do interesse público, aprimorando as práticas de cidadania e de democracia. Mas essa é uma agenda desafiadora para os municípios e nossas ações foram no sentido de contribuir com o início desse processo”, concluiu.

Por Augusto Patrini