Programa de Dinamismo Econômico coloca Alto Horizonte (GO) apontado para o futuro

Alto Horizonte (GO) é uma cidade com um PIB per capita alto, uma população pequena e um grande desafio: como traduzir seu bom desempenho financeiro em desenvolvimento e dinamismo econômico. Esse é o objetivo do Programa de Dinamismo Econômico organizado pela Agenda Pública e pelo Instituto Yamana de Desenvolvimento Socioambiental, implementado no município.

Com o intuito de melhorar a realidade local, o projeto visa a capacitação das pessoas envolvidas neste processo e a formação de uma governança para que o desenvolvimento econômico esteja cada vez mais enraizado no território e que as finanças locais não dependam de um único setor ou de uma única empresa.

O programa pretende combinar ações de curto prazo, que estão começando sua implementação neste ano, com outras planejadas para até 2020 e ações de longo prazo, que serão as bases permanentes da economia municipal. Isso tudo está sendo pensado por diversos atores locais, tanto do setor público como do privado, que estão mapeando o território e construindo juntos uma metodologia para monitorar e avaliar as ações em andamento.

Mariana Calêncio, coordenadora do projeto pela Agenda Pública, destaca que é preciso “transformar ações pontuais, em ações estruturantes e abrangentes para que o processo de desenvolvimento seja desencadeado”.

Ela exemplifica uma ação pontual, como o caso de distribuição de insumos para alguns agricultores, que pode ser transformada em uma ação estruturante e abrangente se for pensada como política pública para o conjunto de agricultores do município.

Muito mais do que desenvolver a economia local, Alto Horizonte precisa dinamizá-la, já que boa parte de seu Produto Interno Bruto é fruto quase exclusivamente da extração de minerais.

Para Mariana, “quando falamos em programa de dinamismo tentamos colocar novas fontes de geração de receitas, e para isso é necessário o desenvolvimento local em vários âmbitos como a garantia de educação, saúde e o aumento da expectativa de vida”.

As ações do programa estão sendo trabalhadas em dois eixos principais. O primeiro é a agricultura, com a estruturação do setor, incentivo à formação de uma cooperativa de agricultores e pecuaristas e a promoção de formação para as pessoas que trabalham com a terra.

O segundo eixo é a criação de uma empresa pública chamada Sustentah, que vai atuar em quatro áreas diferentes: energia limpa – com montagem de lâmpadas LED, painéis de aquecimento solar e painéis fotovoltaicos -, confecção de tecidos, construção civil e alimentação.

Neildo Quintino, assessor de gabinete da Prefeitura de Alto Horizonte, diz que a expectativa com a Sustentah é muito grande. “A ideia é que esta empresa seja um divisor de águas para conseguirmos dar sustentabilidade aos projetos”, diz.

O futuro de Alto Horizonte parece ser muito promissor. Com a implementação de ações práticas de transparência e governo aberto, o caminho para continuar sendo uma cidade efervescente parece estar garantido.

Por Fábio Nassif