Oriximiná, Terra Santa e Faro discutem sonhos para as cidades. Oficinas de visão de futuro foram realizadas nos municípios em agosto

Como você gostaria de ver seu município em 2030? Foi ao redor desta pergunta que aconteceram as Oficinas de Visão de Futuro, organizadas pela Agenda Pública dentro do Programa Territórios Sustentáveis, nos municípios de Oriximiná, Terra Santa e Faro, localizados no oeste do Pará.

As atividades ocorridas entre os dias 22 e 31 de agosto contaram com a presença não só de gestores públicos mas também de lideranças das comunidades. As três cidades realizaram as Oficinas como parte do processo de elaboração do seu Planejamento Estratégico.

Foi em forma de roda que os atores sociais envolvidos debateram abertamente como gostariam de ver seu município daqui 13 anos, fazendo assim um exercício de imaginação coletiva com a intenção de refletirem sobre as ações concretas que pudessem apontar para este município que sonham. Apesar da curta duração, as oficinas contribuíram para aproximar as administrações municipais da população local.

A Secretária de Saúde de Terra Santa, Norma Pantoja, que participou da oficina destaca que a iniciativa em si, por ser direcionada ao serviço público, já é positiva. Em sua opinião, a principal atitude dos gestores deve ser a mudança de comportamento com a própria população.

“Quem me dera ver Terra Santa em 2030 um município muito mais responsável com o dinheiro público e mais independente para explorar as riquezas que temos”, disse Norma. Para ela, Terra Santa tem um enorme potencial para explorar melhor o turismo e a agricultura, aproveitando as suas riquezas naturais.

A visão elaborada na Oficina em Oriximiná caminha em sentido parecido: uma prefeitura mais fortalecida e eficiente, com economia local diversificada e baseada na agricultura, com cadeias produtivas estruturadas e fortalecimento do ecoturismo.

A discussão partiu de uma constatação de que o município ficou muito dependente dos royalties da mineração e não conseguiu desenvolver-se por outras fontes econômicas.

A preocupação com a exploração responsável do meio ambiente também foi marca dos resultados das Oficinas. Em Faro, por exemplo, a Visão de Futuro elaborada pensou um “município modelo em Desenvolvimento Sustentável no Oeste do Pará, tendo como pilares a economia baseada na produção de alimentos orgânicos e no turismo ecológico de base comunitária, bem como a qualidade dos serviços públicos de educação e saúde”.

Além da preocupação sobre a  economia de Oriximiná, os gestores e lideranças sociais presentes destacaram a necessidade de alteração da forma como o próprio governo local lida com as necessidades da população. Ou seja, mudar  a forma de fazer a política no município é parte da construção de uma nova cidade.