O Festival ODS é um evento itinerante e inovador que promove experiências mão na massa para conhecer e construir soluções viáveis para problemas públicos complexos de desenvolvimento sustentável, explorando, de maneira prática, alternativas para fazer acontecer a agenda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aprovados na ONU por 193 países, inclusive o Brasil.

Um caminho muito concreto para construirmos um mundo mais próspero, inclusivo, humano, seguro e sustentável. Uma agenda global que reúne 50 anos de tratados e boas experiências internacionais definindo de forma prática como podemos avançar em muitas áreas, favorecendo um maior engajamento de governos, empresas e da sociedade civil em soluções concretas. A cada ano, o festival tem como foco um ODS específico que esteja ligado aos principais desafios enfrentados pela localidade onde será realizado.

Inovação

Confiança

Trabalho em rede

Cooperação

Escuta

Impacto coletivo

Edição 2019

A primeira edição do Festival ODS aconteceu no dia 13 de novembro de 2019, na Biblioteca Mário de Andrade, um dos pontos mais marcantes do centro de São Paulo.

O foco foi preciso: ODS 11 Cidades e Comunidades Sustentáveis, trazendo soluções para problemas públicos como mobilidade, habitação, emprego e saneamento básico. A realização foi da Agenda Pública e da Estratégia ODS, com cofinanciamento da União Europeia.

+1.000
pessoas alcançadas

31

solucionadores

60
colaboradores

Atração

Cultural

oficinas

3

debates

2

entrevistas

Confira as soluções apresentadas

 

1. Como solucionar problemas complexos? Um olhar para os problemas da gestão pública

O que a Lei de Qualidade do Serviço Público (13.460/2017), redes como a Estratégia ODS e Parcerias Público-Privadas (PPPs) têm em comum? Essas e outras iniciativas foram trazidas pelos participant@s da mesa como exemplos de novos modelos de governança que permitem a coprodução de soluções entre distintos setores, equilibrando o poder econômico, governamental e do cidadão. Para el@s, essa é a receita para solucionar grandes desafios públicos.

Solucionadores

Alexis Vargas, Secretário Adjunto – Secretaria de Governo da cidade de São Paulo
Eliane Trindade, Editora do Prêmio Empreendedor Social da Folha de S.Paulo
Philip Yang, Fundador – URBEM
Rachel Biderman, Diretora Executiva – WRI
Sergio Andrade, Diretor Executivo – Agenda Pública

2. Urbanismo e bem estar nas cidades: planejamento e mobilidade

Uma cidade mais saudável e inclusiva. Com esse foco, os participantes trouxeram dados que mostram os desafios dos centros urbanos, mas também exemplos positivos como o Programa Wi-Fi Livre SP, que possibilita que os cidadãos baixem filmes, livros e outros materiais e acessem durante o deslocamento para o trabalho, casa, escola…essa é uma das alternativas apresentadas que podem tornar as cidades mais humanas.

Solucionadores

Elias de Souza, sócio da área de Infraestrutura & Projetos de Capital e líder da área de Governo e Serviços Públicos – Deloitte no Brasil
Fernando Nogueira, Coordenador – Mobilab
Hannah Machado, Coordenadora de Desenho Urbano e Mobilidade – Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito
Marcelo Cabral, Gerente – Instituto Arapyaú
Rodrigo Perpétuo, Secretário Executivo – ICLEI

3. Futuro do trabalho, novas oportunidades de emprego e geração de renda na cidade

Quando se fala sobre este tema é preciso entender que o salto econômico depende de educação e ensino técnico. Principalmente para a gestão pública, a ponte que diminui a distância entre o projeto e sua execução é o vínculo com a sociedade civil. Nesse sentido, serviços como o Cate foram destacados. A plataforma incentiva pessoas a aprimorar suas habilidades para conquistar um emprego, a se reinserir no mercado de trabalho ou a colocar uma ideia em prática. Os participantes também trouxeram outros exemplos durante o debate.

Solucionadores

Aline Cardoso, Secretária Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da cidade de São Paulo
Andrelissa Ruiz, Presidente do Conselho – Fundação Tide Setubal
Marcus Finco, Fundação Vale
Marina Ferro, Instituto Ethos
Patricia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo

4. Um olhar sistêmico para o saneamento: acesso, financiamento e gestão

Uma cidade que alcançou 100% de distribuição de água, 100% de coleta e 100% de tratamento de esgoto. Parece um exemplo de outro país, mas está mais perto do que se imagina. Trata-se de Piracicaba (SP), que se tornou referência na conquista de excelência no saneamento. Esse foi um dos modelos trazidos para a mesa, que só foi possível por conta da continuidade do plano de saneamento nos últimos 30 anos.

Solucionadores

Adriana Isenburg, Gerente de Integração, Controle e Desenvolvimento Tecnológica – SANASA
Barjas Negri, Prefeito de Piracicaba
Giuliana Moreira, Assessora – GT água e saneamento do Pacto Global
Marina Castro, Responsabilidade social – AEGEA
Marussia Whately, Coordenadora – Aliança pela Água

5. O que esperar das tendências tecnológicas para os próximos 10 anos?

Como influenciar mudanças reais por meio da tecnologia? Uma iniciativa do app Colab junto à ONU Habitat é um exemplo prático. Trata-se de um questionário voltado à população com foco em cidades sustentáveis, que se transformou em um livro, lançado na Assembleia Geral da ONU Habitat em 2019 e virou um trabalho que vai até 2030. A publicação é entregue a governadores, prefeitos e prefeitas. Isso influencia diretamente as decisões.

Solucionadores

Gustavo Maia, fundador do Colab
Marcia Frizzo, supervisora executiva de Responsabilidade Social da Rede Globo
Thiago Rondon, codiretor do Instituto Tecnologia e Equidade

Para conferir todos os detalhes, leia nosso Breviário clicando aqui.

 

 

Fotos: Escola de Notícias, Ricardo Yasuo Yamane, Sara Martins Ywahashi, Natália Ranhel, Bruno Arantes de Andrade.

Tem alguma dúvida ou gostaria de falar sobre o Festival ODS? Entre em contato:
festivalods@agendapublica.org.br

Receba nossa newsletter